Pular para o conteúdo principal

E quando o suicídio parece uma solução

Lamento não conseguir colocar em palavras o que se sente quando pensamos que a única solução de conforto é a nossa própria morte.

Nós somos guiados pela nossa personalidade. A nossa personalidade são os nossos valores, as nossas crenças e o nosso sistema emocional. Nós somos a nossa personalidade! Os nossos pensamentos, os nossos comportamento e sentimentos são reflexos da nossa personalidade, e como todos valorizamos coisas diferentes, como acreditamos em coisas diferente e como sentimos experiências de forma diferente.... somos diferentes uns dos outros.
Tudo o que pensamos, fazemos ou sentimos é provocado pela nossa mente para nos aproximar do conforto/prazer e fugindo do desconforto/dor.

E quando pensamos em querer morrer? O que leva a nossa mente a desejar a morte?

A resposta é simples: A nossa mente (nós) em alguns momentos da nossa vida em busca de alternativas á dor que sentimos, quando não encontra uma solução visualiza na morte a ausência de sofrimento, e isto a acontecer provoca uma obsessão brutal, tão brutal quanto a necessidade de acabar com o sofrimento existente.

Então compreendemos que o problema está no sofrimento que sentimos, não está na nossa mente nem na obsessão do suicídio. O problema está na nossa personalidade mas não está nos nossos valores nem crenças mas sim no nosso sistema emocional.... nas emoções.

Muitas vezes vivemos experiências que nos perturbam tanto que as emoções negativas de mágoa, raiva, ódio, saudade, amor (carência) entre outras ficam de tal forma associadas ao nosso sistema emocional que nos condicionam os pensamentos e comportamentos distorcendo a nossa percepção da nossa própria vida e realidade, condicionando as nossas crenças, valorizamos crenças que nos limitam, bloqueamos a nossa fisionomia e assim sentimos um sofrimento físico que nos condiciona, ficamos sem energia, sem recursos intelectuais para pensar em soluções e formas de avançar... Depressão... estado mental em que a nossa mente tenta reorganizar as emoções perturbadoras....e.. se não o consegue fazer de uma forma positiva e assertiva, cria-se obsessões para soluções ... qualquer solução é ponderada face á gravidade da dor e na ausência de soluções.... a morte é na verdade a derradeira solução de dissociação de dor!

MAS A MORTE NÃO É A SOLUÇÃO!

Quando o ser humano chega a este ponto no seu estado emocional, apenas precisa de ajuda para se dissociar das emoções que o perturbam... e isto.... pode ser fácil!

(Eu ao escrever estas notas não queria estar a vender serviços... apenas a comunicar com amigos que precisam de ajuda, mas não posso deixar de dizer que infelizmente existem muito poucas terapias rápidas e eficazes para ajudar na dissociação emocional que falo constantemente.)
Por isso, mesmo parecendo um comercial a vender o seu produto, quero dizer a todos que o modelo psicoterapêutico HBM é a solução rápida e eficaz na dissociação emocional, ajudando as pessoas a libertarem-se das emoções, sensações que as limitam na sua paz interior no seu equilíbrio.

Por fim, como este tema é muito importante na vida de muita gente, gostaria de pedir a pessoas que já viveram e sentiram este problema de perto, que relatem os seus casos de sucesso para que outros ao lerem essas linhas de esperança possam viver também essa esperança! Podem enviar-me um email para pedrobras@clinicadamente.com para que eu coloque o texto nesta plataforma de uma forma anonima.

Um Abraço
Pedro Brás
https://www.facebook.com/notes/clinica-da-mente/e-quando-o-suic%C3%ADdio-parece-uma-solu%C3%A7%C3%A3o/439947939402412/
Instagram siga no Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos namorados sozinho?

Ah, é claro que eu fico triste, talvez até mais do que deveria ficar, porque se eu pensar nas experiências do passado, eu estou bem até. Mas sabe, tem certas horas que eu sinto vontade de ter alguém e não estou dizendo isso só porque é o dia dos namorados e eu não tenho alguém.  Eu estou dizendo isso, porque faz bem viver a dois, ter alguém para um abraço quente, um beijo demorado, um boa noite e um bom dia querendo saber se eu dormi bem.  Chega uma hora que perde a graça sair, conhecer alguém e ver que ali você não pode depositar expectativas porque depois de três ou quatro palavras, você percebe que mais vazia do que a sua vida sentimental, é a cabeça dessas pessoas quem vão para a noite só querendo preencher a sua cota de beijar quem puder.  Chega uma hora que você se olha no espelho e se pergunta: será que não chegou a hora de me permitir e conhecer alguém legal? Que tire esse medo que ficou estacionado em mim, achando que todo mundo vai ser como a minha última péssima experiência?  A…

BORA DESABAFAR...

Em frente a tantas coisas que a vida vai nos levando a viver, chegam determinados momentos que é quase que impossível continuar... sentimos como se o mundo fosse tirado do nosso chão e com isso obrigados a caminhar mesmo sem ter forças e/ou querer... Este ano tenho experimentado viver o silêncio diante das inúmeras situações que têm se apresentado em minha vida, aos inúmeros problemas e dificuldades e as coisas que se encontravam ocultas tem se tornado claras...  Talvez tudo isso seja eu enxergando a vida com um olhar maduro, onde posso limitar-me a apenas observar, rezar e, acima de tudo, SILENCIAR... Hoje tive um momento com Deus e nesse meu momento com Ele exigi, que Ele me fosse sincero e claro, que tudo que ainda se encontrasse oculto que eu precisasse saber que se pusesse às claras... Trinta minutos após meu diálogo com Deus, recebo sem muito esforço o que precisava saber... e isso já era algo que vem há dias... apenas pude perceber que só Deus é sincero com a gente, que expõe o que…
O passado me ensinou que as pessoas não somem, perdem o interesse. 
O passado me ensinou a não acreditar em um “Estou com saudade” se não vier acompanhado de um “Como faço para te ver?”. 
O passado me ensinou a não me preocupar com coisas que só o tempo pode resolver. 
O passado me ensinou que não tem como um relacionamento dar certo se o orgulho for maior que o próprio sentimento.


siga no Instagram