sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Minhas palavras, meus desabafos, minhas confissões...

Chega de mensagem dos outros e minha vez de escrever de mim, por mim mesmo... Apesar que todas as mensagens que postei que não são minhas têm haver comigo e com a realidade que tenho vivido nos últimos meses.
E tenho tido grandes momentos de reflexão, devido a todo processo de transformação que tenho passado internamente, uma libertação de mim mesmo, de meus apegos (que será um outro  post), de pensar e repensar minhas atitudes, meus pré conceitos, minhas atuais intenções de vida entre outras tantas coisas que venho lutando internamente.
Como disse algumas outras vezes, e hoje tenho plena certeza disso, Sou muito carente... mas muito mesmo!!! E o pior que não sei como suprir tal e tamanha carência que vivo... Não é uma carência simples, é algo profundo que venho percebendo agora adulto... "quase velho" - Uma carência que muitas vezes a gente acha que nunca irá nos fazer falta é a carência afetiva, de afetos... Tenho concluído que passei uma longa parte da vida sem afetos, sem demostração de carinhos,  caricias, abraços... e tenho percebido que minha atual carência seja disso, de sentir afeto, querido mas não somente por palavras, mas com atos concretos... não seria algo sexual e sim partilha de carinho, afeto, um abraço!! 
Notei que quando fui pra igreja, grupo de jovens algo que não deixava transparecer essa carência era que sempre estava rodeado de pessoas que careciam de um abraço, de uma conversa amiga, de estar próxima... e nunca tinha parado pra pensar que mesmo estar auxiliando alguém em suas carências eu estava me auxiliando suprindo minhas carências de afeto, talvez de uma forma errada, pois isso acabava gerando um apego e desencadeando outras situações, como muitas que vivi por demonstrar afeto, e as vezes pela falta acabar extrapolando e ser mal interpretado... quantas amizades não perdi por isso... por excesso de afeto, até porque muitas vezes nosso apego, nos leva a isso, a dar um afeto exagerado por medo de perder esse afeto recebido... como vivi isso!!
De uns anos pra cá, mais exatamente dois anos, eu deixei esse meu lado convívio igreja o que me fez estar e ficar isolado, pois as "amizades" que tinha era do convívio de igreja, e percebo que dentro da igreja temos grandes amigos, mas quando deixamos ou afastamos esses grandes amigos, se reduzem... 
Eu passei um ano quase extremamente sem amigos reais, vivendo uma solidão profunda... na verdade ainda vivo essa solidão, hoje mais por medo dessa carência me levar ao apego... Mas sinto uma falta tremenda de ter amigos reais, não virtuais... poder fazer coisas de gente normal, sentar e ter um "cadin de prosa", rir, trocar experiências, olhar no olho, sentir a pessoa, saber conhecer as expressões do outro... isso me faz muita falta...
Receio muito, devido minha condição sexual, como já fui muito condenado/criticado e mal interpretado, tenho medo de acontecer e "reacontecer" e não ter as mesmas forças que tive anos atrás que me condicionaram a prosseguir... hoje sei que o menor vento de situações que me trazem desconforto afetivo já é motivo de mudar direção, mudar foco etc.
Por falar nisso, um dos motivos de ter criado este blog foi pela ausência de com quem conversar minhas neuras, meus desabafos e minhas confissões...

Nenhum comentário: