Pular para o conteúdo principal

Você faz falta...

VOCÊ FAZ FALTA!!
É uma frase bem pequena, mas com grande conteúdo reflexivo, inserido em sua profundidade, que muitas vezes acabamos por esquecer seu teor, e sua  grandeza.
Nos últimos dias essa tem sido uma frase muito constante para mim, inúmeras pessoas têm me enviado mensagens inbox via facebook, via whatsApp, email etc. O engraçado que quando se fala isso, eu, por exemplo, vou logo refletindo e analisando, pois essa é uma frase que para mim tem um grande peso.
Quando sinto falta de alguém eu costumo fazer de tudo para que essa falta nao se evidencia mais ou se torne maior, tentando ameniza-la com a aproximação, procurando aquilo ou aquele que te faz falta para que se torne presente em nossa vida, em nossa história.
Fico imaginando o motivo pelo qual as pessoas costumam sentir a falta uma das outras, e tenho percebido que a maioria são bem diferentes de mim, pois sentem falta não pelo fato de gostar de você, ou mesmo por te querer perto, mas pelo que você pode proporcionar ou facilitar a vida das pessoas que insistem em dizer que sente sua falta.
Tenho percebido que essa falta é uma falta mais produtiva, carência de seus préstimos, de seus serviços, de suas habilidades técnicas, de seu profissionalismo, o que por um lado é até bom, mas nao passa disso, e muitas vezes nosso interior necessita muito mais que isso.
Sou extremamente carente, e essa carência nos últimos dias tem me feito sofrer muito, apesar de tomar a decisão de que não mendigarei afeto, carinho de ninguém, se nao nos é dado livremente, nao devemos suplicar, ou mesmo mendigar para que as pessoas demonstre por nós algum carinho ou afeto.
Um pregador católico uma vez disse efusivamente que: AMOR NÃO SE MENDIGA, e tenho percebido que me transformei em um grande mendigo de amor, sinto uma necessidade gigantesca de ser amado, de ser querido, e às vezes pra que isso aconteça pago preço cara, engulo sapos e sentimentos que poderiam muito bem ser de um modo diferente, e pior ainda, que mesmo mendigando nao sinto essa falta sendo suprida, muito pelo contrário, parece que cada dia que passa o vazio interior, a carência torna-se cada vez maior, com isso venho perdendo alguns controles, controle dos meus sentimentos, dos meus afetos,das emoções etc. e me afundado numa tristeza/melancolia sem igual, além de me fazer enfiar em uma solidão desumana, tem dia que não consigo explicar o tamanho da solidão que sinto, nao ter amigos para conversar, namorado, etc tornando meu fardo cada vez mais pesado, pois tenho que aguentar tudo SOZINHO!! 
Tentei quebrar um pouco a guarda, deixar me aproximar de pessoas que pensava ser confiavel e amigas, mas não deu muito certo, algumas condições de minha vida acabam afastando as pessoas de perto, tipo repelente, tenho um repelente  interno que nem sei de onde surge, fazendo de mim a pessoa mais solitaria do mundo, pior que mesmo quando estou em uma grande multidão, ainda sinto me sozinho, incompreendido... 
Pra mim hoje, eu nao teria uma pessoa que eu sinta falta, especificamente, mas teria situações, atos que me faz muita falta: ser acarinhado, receber abraço, sentar e jogar conversa fora, rir de bobeiras e bobices... Sinto muita falta disso, desde minha infância nunca soube o verdadeiro valor do afeto devido ao grande número de filhos dos pais, e ser o mais novo, engano quem acha que o mais novo é o centro das atenções, ao menos no meu caso foi bem diferente... Sinto falta tem dia só de receber um abraço, um elogio, um obrigado, um "estou com você", "não desista"... coisas pequenas em que demonstra que se importam com você.
Pois é, a cada dia que passa tenho percebido minha insignificância para as pessoas a minha volta, como se eu fosse apenas mais um qualquer, e na verdade sou né... nao tenho tido valor algum, ao menos valor que mereça afeto, isso é visível que não.
Sinto falta de fazer falta para alguém... de ser alguém para alguém e o mesmo ser alguém para mim...
Vejo os dias, meses e anos passando e a minha sentença cada vez se torna mais evidente: SOLIDÃO. Algo que sempre tive medo, sempre corri, inevitável... aparente em minha vida como uma constância...
Fico analisando toda a minha história de vida, todas as lutas, todas as guerras, todos os fardos carregados, todas as ajudas, todos os enfrentamentos, pra chegar a essa altura e olhar pra traz que todos que um dia lutei, briguei, guerreei com e por, deixaram me de lado, pois não precisam mais de mim, ou por nao ter nada a oferecer, pois todo o caminho fui me desgastando, ofertando tudo que tinha e nao sobrou mais nada...
A única coisa que me restou foi o cansado... cansado de viver, cansado de lutar, cansado de nadar e nadar e morrer na praia... cansado de fazer falta, mas falta técnica!! CANSADO!!
Só tenho vontade de ficar quieto descansando da vida!! pois ser feliz!!! já nao pretendo nem luto mais pra ser... sonhar, então, menos ainda!! 
Espero o fim... a única esperança que tenho...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos namorados sozinho?

Ah, é claro que eu fico triste, talvez até mais do que deveria ficar, porque se eu pensar nas experiências do passado, eu estou bem até. Mas sabe, tem certas horas que eu sinto vontade de ter alguém e não estou dizendo isso só porque é o dia dos namorados e eu não tenho alguém.  Eu estou dizendo isso, porque faz bem viver a dois, ter alguém para um abraço quente, um beijo demorado, um boa noite e um bom dia querendo saber se eu dormi bem.  Chega uma hora que perde a graça sair, conhecer alguém e ver que ali você não pode depositar expectativas porque depois de três ou quatro palavras, você percebe que mais vazia do que a sua vida sentimental, é a cabeça dessas pessoas quem vão para a noite só querendo preencher a sua cota de beijar quem puder.  Chega uma hora que você se olha no espelho e se pergunta: será que não chegou a hora de me permitir e conhecer alguém legal? Que tire esse medo que ficou estacionado em mim, achando que todo mundo vai ser como a minha última péssima experiência?  A…

BORA DESABAFAR...

Em frente a tantas coisas que a vida vai nos levando a viver, chegam determinados momentos que é quase que impossível continuar... sentimos como se o mundo fosse tirado do nosso chão e com isso obrigados a caminhar mesmo sem ter forças e/ou querer... Este ano tenho experimentado viver o silêncio diante das inúmeras situações que têm se apresentado em minha vida, aos inúmeros problemas e dificuldades e as coisas que se encontravam ocultas tem se tornado claras...  Talvez tudo isso seja eu enxergando a vida com um olhar maduro, onde posso limitar-me a apenas observar, rezar e, acima de tudo, SILENCIAR... Hoje tive um momento com Deus e nesse meu momento com Ele exigi, que Ele me fosse sincero e claro, que tudo que ainda se encontrasse oculto que eu precisasse saber que se pusesse às claras... Trinta minutos após meu diálogo com Deus, recebo sem muito esforço o que precisava saber... e isso já era algo que vem há dias... apenas pude perceber que só Deus é sincero com a gente, que expõe o que…
O passado me ensinou que as pessoas não somem, perdem o interesse. 
O passado me ensinou a não acreditar em um “Estou com saudade” se não vier acompanhado de um “Como faço para te ver?”. 
O passado me ensinou a não me preocupar com coisas que só o tempo pode resolver. 
O passado me ensinou que não tem como um relacionamento dar certo se o orgulho for maior que o próprio sentimento.


siga no Instagram