Pular para o conteúdo principal
Quarta em meio aquele alvoroço de fumaça branca, espera de quem fora o escolhido pra ser o atual Papa, acabei vendo um comentário que achei prudente compartilhar, ei-lo:


Agora com o novo Papa eleito, vamos esperar as críticas daqueles que se opõem à religião Católica, desrespeitando a fé alheia. A multidão presente na praça de São Pedro deve ter incomodado a muitos, mas diante da crise e da pompa da Igreja, que fique o retrato de fieis que, a seu modo, unem-se através da religião almejando um mundo menos turbulento.
Os tempos são difíceis e esperamos que o papa eleito, seja como líder religioso, seja como influência política internacional consiga ter forças, capacidade e humildade na busca de dias melhores.
Mesmo não sendo um católico praticante, é isso o que desejo.
E vamos que vamos!  (Prof. Júlio César)  (https://www.facebook.com/juliocesar.lima.169?ref=ts&fref=ts)

Muitos falam mal da Igreja Católica, dizem isso e aquilo, especulam coisas e situações, acusam, apontam, condenam, sentenciam, porém nessa terça e quinta (12 e 13 de março), percebi uma notável situação: O mundo parou seu olhar sobre a Igreja (para mim a verdadeira, diga-se de passagem neh!), e ver isso me deixou feliz, porém intrigado, pois ser católico é muito mais que ir a missa, fazer as coisas corretamente, creio que ser católico é ter um sentido na vida, uma direção, nao falo de ser fanático, de ser idealista,  mas sim de ter um verdadeiro sentido, um equilíbrio para a vida. Vimos o mundo parar pra saber quem será aquele que estará a frente da Igreja representando seus fiéis e representando Cristo! A mídia, essa mesma que acusa, parou pra mostrar, anunciar aquele que estará na Cátedra de S. Pedro. Apesar de todos os comentários que muitos soltam por ai, é visível a influência que a igreja possui sobre o mundo, percebe-se que sua autoridade vai além de nossa imaginação, ultrapassa nossa sã consciencia. E que Papa Francisco seja como S. Francisco de Assis pobre, humilde e sábio!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos namorados sozinho?

Ah, é claro que eu fico triste, talvez até mais do que deveria ficar, porque se eu pensar nas experiências do passado, eu estou bem até. Mas sabe, tem certas horas que eu sinto vontade de ter alguém e não estou dizendo isso só porque é o dia dos namorados e eu não tenho alguém.  Eu estou dizendo isso, porque faz bem viver a dois, ter alguém para um abraço quente, um beijo demorado, um boa noite e um bom dia querendo saber se eu dormi bem.  Chega uma hora que perde a graça sair, conhecer alguém e ver que ali você não pode depositar expectativas porque depois de três ou quatro palavras, você percebe que mais vazia do que a sua vida sentimental, é a cabeça dessas pessoas quem vão para a noite só querendo preencher a sua cota de beijar quem puder.  Chega uma hora que você se olha no espelho e se pergunta: será que não chegou a hora de me permitir e conhecer alguém legal? Que tire esse medo que ficou estacionado em mim, achando que todo mundo vai ser como a minha última péssima experiência?  A…
O passado me ensinou que as pessoas não somem, perdem o interesse. 
O passado me ensinou a não acreditar em um “Estou com saudade” se não vier acompanhado de um “Como faço para te ver?”. 
O passado me ensinou a não me preocupar com coisas que só o tempo pode resolver. 
O passado me ensinou que não tem como um relacionamento dar certo se o orgulho for maior que o próprio sentimento.


siga no Instagram

BORA DESABAFAR...

Em frente a tantas coisas que a vida vai nos levando a viver, chegam determinados momentos que é quase que impossível continuar... sentimos como se o mundo fosse tirado do nosso chão e com isso obrigados a caminhar mesmo sem ter forças e/ou querer... Este ano tenho experimentado viver o silêncio diante das inúmeras situações que têm se apresentado em minha vida, aos inúmeros problemas e dificuldades e as coisas que se encontravam ocultas tem se tornado claras...  Talvez tudo isso seja eu enxergando a vida com um olhar maduro, onde posso limitar-me a apenas observar, rezar e, acima de tudo, SILENCIAR... Hoje tive um momento com Deus e nesse meu momento com Ele exigi, que Ele me fosse sincero e claro, que tudo que ainda se encontrasse oculto que eu precisasse saber que se pusesse às claras... Trinta minutos após meu diálogo com Deus, recebo sem muito esforço o que precisava saber... e isso já era algo que vem há dias... apenas pude perceber que só Deus é sincero com a gente, que expõe o que…