Pular para o conteúdo principal

Elogios

Ola pessoas, como viram postei algumas matérias que venho escrevendo no jornal da Paróquia Sao Joaquim, que vem trazendo elogios e ao mesmo tempo críticas.
Hoje, aqui em minha cidade é feriado, devido ao padroeiro da cidade, com isso ficando em casa de bobeira, acabei assistindo a um programa que me chamou atençao, "Escolhas da Vida" da rede vida, apresentado por Dalcídes (quase cai das pernas, pois o conheci como Padre Dalcídes, que casou com a Mariana Godoy e nao imaginava que estivesse tao bem e tao disposto assim) cujo o tema de hoje foi ELOGIO, é bom ou ruim??? E comecei a refletir sobre o tema, a ler alguns artigos sobre, e muito intrigante o quanto as pessoas gostam de receber elogios, encontrei um artigo muito interessante que kero compartilhar com quem le meu blog:

http://artedaexcelencia.blogspot.com.br/2011/07/o-poder-do-elogio.html
Recentemente assisti a um pequeno filme chamado “Validation”. Em português encontrei no youtube uma versão legendada com o título “Validação: eu só queria te ver sorrindo”.  O curta foi escrito e dirigido por Kurt Kuenne, em 2007, sendo estrelado por TJ Thyne e Vicki Davis, segundo o blog www.cinefilodeplantao.wordpress.com.

   Esse filme, com cerca de 15 minutos de duração, é bastante interessante. O personagem central trabalha no setor de validação de tickets de estacionamento em um shopping center e simplesmente adora elogiar as pessoas. No começo parece que esses elogios são meio forçados, apenas como um técnica obtida em algum treinamento. Mas logo se percebe que os elogios são sinceros e a partir daí o filme se desenvolve mostrando como as pessoas gostam de receber elogios. 

   Pois bem, depois de assistir ao filme fiquei pensando no grande poder de transformação que os elogios possuem. E como praticamente não fazemos uso desse poder. Comecei a observar o meu dia a dia e constatei que é muito fácil fazer uma crítica, mas bastante raro fazer um elogio. Por exemplo, se somos mal atentidos em algum lugar é muito comum que reclamemos no próprio local ou falemos sobre isso para alguma outra pessoa. Mas se somos bem atendidos raramente agradecemos a pessoa que nos atendeu, elogiando seu trabalho. 

   É interessante essa constatação, aparentemente fruto da cultura que temos de que fazer bem feito é apenas obrigação. Logo, não haveria espaço para elogios, salvo em situações de realizações excepecionais. Já as cobranças existem sempre. Muitas vezes até junto de um elogio, como quando, por exemplo, o filho chega com um 9 no boletim e o pai diz: “Muito bom. Vamos ver se na próxima você consegue um 10”. Claro que essa é uma forma de instigar a um resultado ainda melhor no futuro, mas parece-me que nesse momento o ideal seria apenas um elogio, como reforço de que com trabalho bem feito se consegue grandes resultados.

   Aliás, falar em filhos e família é bastante oportuno, pois quando se pensa em elogios a ideia que vem em primeiro lugar é o ambiente de trabalho, onde os elogios sinceros podem realmente trazer excelentes resultados (e mesmo assim muitas vezes não temos capacidade de elogiar quando devido). Contudo, você já pensou que também dentro de sua casa, com seus filhos e companheiro(a), o elogio é fundamental? Acredito, inclusive, que é um dos principais elementos que alimentam o carinho das relações. Basta ver um casal de namorados apaixonados. É elogio para todo lado.  Como consequência vem o carinho. E mais elogios. 

   Obviamente que não é possível viver todos os dias como um casal de namorados apaixonados. Mas é possível adotar a prática de elogiar com sinceridade pelas pequenas coisas boas que nossos filhos e companheiro(a) fazem no dia a dia. Um café que nos espera na mesa preparado pela esposa, uma toalha pendurada no varal pelo marido (coisa rara que merece mesmo elogio!),  o filho que acorda animado para ir para a escola. Tudo isso são coisas muito simples, mas que podem e devem ser elogiadas. 

   Da mesma forma, nas atividades diárias e no trabalho, elogiar pela pequenas coisas positivas que são feitas é muito importante. Gera um sentimento de realização profissional e pessoal para quem recebe o elogio. E para quem elogia é um mecanismo bastante eficaz para que o outro saiba que é aquilo que você espera dele.  Além do que abre um espaço mútuo para emissão e aceitação de uma crítica construtiva, quando seja necessária. 

   Enfim, elogiar com sinceridade é algo bastante interessante que podemos incorporar a nossa vida diária. No começo certamente nos sentiremos um pouco desconfortáveis, já que não estamos acostumados. Mas como no filme “Validation”, com o tempo isso se tornará algo natural e os resultados serão muito positivos.

   De outro lado, ao mesmo tempo em que aprendemos a elogiar, precisamos também aprender a receber elogios. Não é o caso de adotarmos a conduta de algumas pessoas que adoram receber elogios e se colocam em um posição de superioridade em relação aos demais. Mas também não precisamos ficar em um posição de achar que receber um elogio é quase um pecado. Com efeito, talvez pela raridade com que elogios são dados, muitas pessoas acabam ficando constrangidas quando são elogiadas. Tente não se sentir assim. Receba o elogio, agradeça por ele, curta o momento e tenha a sensibilidade de saber que elogios passados não garantem elogios futuros. Assim, aproveite o elogio, mas faça por merecer outros no futuro. 

   Aliás, essa questão de fazer por merecer outros elogios no futuro remete a uma questão final sobre esse assunto: a forma de elogiar. O ideal é elogiar sempre as ações das pessoas, quer dizer, o que elas fizeram de positivo, e não elas em si. Isso estimula a que as pessoas procurem fazer novas coisas que gerem elogios. Já o elogio à pessoa em si faz com que ela tenda a não agir, para não correr o risco de no futuro ser criticada por uma ação. Então elogie as pessoas pelo que elas fazem. Isso vale para o trabalho, companheiro(a), filhos, amigos e todas as interações sociais. 

   Por fim, para quem se interessou pelo filme “Validation”, o link para acesso na versão legendada que encontrei é: http://www.youtube.com/watch?v=yKh5OJ1saHM. Vale a pena conferir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos namorados sozinho?

Ah, é claro que eu fico triste, talvez até mais do que deveria ficar, porque se eu pensar nas experiências do passado, eu estou bem até. Mas sabe, tem certas horas que eu sinto vontade de ter alguém e não estou dizendo isso só porque é o dia dos namorados e eu não tenho alguém.  Eu estou dizendo isso, porque faz bem viver a dois, ter alguém para um abraço quente, um beijo demorado, um boa noite e um bom dia querendo saber se eu dormi bem.  Chega uma hora que perde a graça sair, conhecer alguém e ver que ali você não pode depositar expectativas porque depois de três ou quatro palavras, você percebe que mais vazia do que a sua vida sentimental, é a cabeça dessas pessoas quem vão para a noite só querendo preencher a sua cota de beijar quem puder.  Chega uma hora que você se olha no espelho e se pergunta: será que não chegou a hora de me permitir e conhecer alguém legal? Que tire esse medo que ficou estacionado em mim, achando que todo mundo vai ser como a minha última péssima experiência?  A…

BORA DESABAFAR...

Em frente a tantas coisas que a vida vai nos levando a viver, chegam determinados momentos que é quase que impossível continuar... sentimos como se o mundo fosse tirado do nosso chão e com isso obrigados a caminhar mesmo sem ter forças e/ou querer... Este ano tenho experimentado viver o silêncio diante das inúmeras situações que têm se apresentado em minha vida, aos inúmeros problemas e dificuldades e as coisas que se encontravam ocultas tem se tornado claras...  Talvez tudo isso seja eu enxergando a vida com um olhar maduro, onde posso limitar-me a apenas observar, rezar e, acima de tudo, SILENCIAR... Hoje tive um momento com Deus e nesse meu momento com Ele exigi, que Ele me fosse sincero e claro, que tudo que ainda se encontrasse oculto que eu precisasse saber que se pusesse às claras... Trinta minutos após meu diálogo com Deus, recebo sem muito esforço o que precisava saber... e isso já era algo que vem há dias... apenas pude perceber que só Deus é sincero com a gente, que expõe o que…
O passado me ensinou que as pessoas não somem, perdem o interesse. 
O passado me ensinou a não acreditar em um “Estou com saudade” se não vier acompanhado de um “Como faço para te ver?”. 
O passado me ensinou a não me preocupar com coisas que só o tempo pode resolver. 
O passado me ensinou que não tem como um relacionamento dar certo se o orgulho for maior que o próprio sentimento.


siga no Instagram