Pular para o conteúdo principal

Algumas saudades...

Bom... o tempo não pára, não pára naaaaooo!!!
Essa semana completa 15 anos que meu amado pai faleceu, dia 1º sendo mais exato... E que saudade me bateu hoje a pessoa de um pai... lembrei daquele que foi meu genitor... concedeu-me por herança alguns traços fisicos, amor ao São Paulo, e a inteligencia inigualável... apesar de nao me achar tão inteligente quanto muitos insistem em dizer... meu pai faleceu quando eu ainda tinha 14 anos... um jovem adolescente confuso diante de todas as transformaçoes que estava passando. Mas o fato que me faz sentir saudade nao é simplesmente por ele ter falecido... é tambem pelo fato de nunca ter uma pessoa masculina na vida como exemplo de pai... e sinto que meu coraçao sente saudade de alguem assim... Meu pai bebia horrores... horrores mesmo, a cidade toda o conhecia... chamavam-no de CARREIRO, nao me perguntem o motivo pois ate hoje eu nao sei... alguns quiseram me apelidar de carreirinho, mas... um dia conto o que fazia com quem atrevia me chamar assim...
Apesar de sua ausencia, sempre o amei... e hoje sinto sua falta como pessoa e sinto mais profundo ainda a falta de uma pessoa PAI, se é que me entendem... acho que muitas situaçoes que vivencio hoje é fruto de tudo isso...Lembro do dia como se fosse hoje... dia 1º de maio, pleno domingo de corrida... como costume participava da missa as 8h na capela Nossa Senhora Aparecida, ainda era capela, e depois da missa tinha a corrida de F1, imagina... as 10h da manhã acontece o acidente com nosso amado Senna... que veio faltamente falecer as 16h21 do mesmo dia por morte cerebral... lembro que meu pai assistiu a corrida, tinha ficado sem beber desde a quarta anterior, e como ja sabiamos que quando isso ocorria ele passava mal, devido ao teor alcoolico no sangue... mas aquele dia seria diferente... de manha passou mal(dava certas convulsoes, tipo apilepsia)e se recuperou.. a tarde ficou pasmo com o falecimento de Senna, uma hora mais tarde começou a convulsionar-se cadencialmente, isso porque estavamos minha mae, minha irmã e eu em casa... sai... alias fizeram com que eu fosse atras dos meus irmaos ou do meu cunhado, que encontrei com o cunhado que foi ver o que podia ser feito... levou-o ao hospital e la foi recomendado que se encaminhasse pra Ribeirão Preto, uma cidade "vizinha", e foi o que fzeram... sei que nessa epoca costumava dormir cedo... e era umas 19h ja estava na cama... mas algo me acordou quando foi 21h20, nao sei explicar o que, mas sei que foi intrigante nao consegui dormir mais... entao levantei e fui pra sala assistir tv com a familia... e la pelas 23h chega meu cunhado com a noticia que ao chegar em Ribeirao Preto meu pai falecera... fatalmente... nao chegando ao hospital das clinicas vivo... morreu no caminho... Foi constato alcoolismo craniano... o alcool no sangue era tanto ja que atingiu o cerebro e... Apesar dele nao ser tão presente em minha vida, posso dizer que era o mimadinho do papai...Dava tudo o que podia dar... comprava cadernos, ensinou tabuada que nunca mais esqueci... Apesar da bebida era uma ótima pessoa... Senti muito a perda apesar de nao demonstrar, nunca demonstrei... Ficou a dor da saudade que nada nem ninguem conseguirá aliviar tal sentimento. Com toda situação aprendi a ser maduro, a ter equilibrio em momentos que julgamos nao dar conta... E as pessoas nao dao valores as pessoas que todos os dias fazem o nosso dia melhor...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos namorados sozinho?

Ah, é claro que eu fico triste, talvez até mais do que deveria ficar, porque se eu pensar nas experiências do passado, eu estou bem até. Mas sabe, tem certas horas que eu sinto vontade de ter alguém e não estou dizendo isso só porque é o dia dos namorados e eu não tenho alguém.  Eu estou dizendo isso, porque faz bem viver a dois, ter alguém para um abraço quente, um beijo demorado, um boa noite e um bom dia querendo saber se eu dormi bem.  Chega uma hora que perde a graça sair, conhecer alguém e ver que ali você não pode depositar expectativas porque depois de três ou quatro palavras, você percebe que mais vazia do que a sua vida sentimental, é a cabeça dessas pessoas quem vão para a noite só querendo preencher a sua cota de beijar quem puder.  Chega uma hora que você se olha no espelho e se pergunta: será que não chegou a hora de me permitir e conhecer alguém legal? Que tire esse medo que ficou estacionado em mim, achando que todo mundo vai ser como a minha última péssima experiência?  A…

BORA DESABAFAR...

Em frente a tantas coisas que a vida vai nos levando a viver, chegam determinados momentos que é quase que impossível continuar... sentimos como se o mundo fosse tirado do nosso chão e com isso obrigados a caminhar mesmo sem ter forças e/ou querer... Este ano tenho experimentado viver o silêncio diante das inúmeras situações que têm se apresentado em minha vida, aos inúmeros problemas e dificuldades e as coisas que se encontravam ocultas tem se tornado claras...  Talvez tudo isso seja eu enxergando a vida com um olhar maduro, onde posso limitar-me a apenas observar, rezar e, acima de tudo, SILENCIAR... Hoje tive um momento com Deus e nesse meu momento com Ele exigi, que Ele me fosse sincero e claro, que tudo que ainda se encontrasse oculto que eu precisasse saber que se pusesse às claras... Trinta minutos após meu diálogo com Deus, recebo sem muito esforço o que precisava saber... e isso já era algo que vem há dias... apenas pude perceber que só Deus é sincero com a gente, que expõe o que…
O passado me ensinou que as pessoas não somem, perdem o interesse. 
O passado me ensinou a não acreditar em um “Estou com saudade” se não vier acompanhado de um “Como faço para te ver?”. 
O passado me ensinou a não me preocupar com coisas que só o tempo pode resolver. 
O passado me ensinou que não tem como um relacionamento dar certo se o orgulho for maior que o próprio sentimento.


siga no Instagram